Prefeitura Municipal de Santana

Dia Nacional da Mulher: Relembre o legado de Jerônima Mesquita

29 de abril de 2024

Imagem da web.

No dia 30 de abril, comemora-se uma data histórica e símbolo de resistência para as mulheres: o Dia Nacional da Mulher. Instituído em 1980 pela Lei nº 6.791, de 9 de junho de 1980, este dia presta homenagem à mineira, enfermeira, sufragista e feminista Jerônima Mesquita, ícone da luta feminista no país.

Jerônima casou-se aos 17 anos e teve um filho, separando-se aos 20, em uma época em que as mulheres ainda não tinham direito ao divórcio. A separação, socialmente não aceita, é apontada como o motivo para a família retirar-se para a Europa no século XX. A jovem ingressou na Cruz Vermelha e, ao regressar ao Brasil, fundou, juntamente com suas amigas Stela Guerra Duval e Bertha Lutz e a mãe, o hospital Pró-Matre, no Rio de Janeiro, e atuaram como enfermeiras durante a epidemia de gripe espanhola.

Com o fim da 2ª Guerra Mundial, Jerônima criou o Movimento Bandeirante Feminino no Brasil com o objetivo de educar crianças e jovens. Em 1922, fundou a Federação Brasileira pelo Progresso Feminino (FBPF) e tornou-se uma das pioneiras na luta pelo direito ao voto feminino no Brasil, participando do movimento sufragista de 1932.

O legado deixado por Jerônima aponta para uma linha do tempo repleta de conquistas na esfera social, como, por exemplo, o direito ao voto, à guarda dos filhos em caso de separação, a chegada da pílula anticoncepcional no Brasil, a aprovação da lei do divórcio, a sanção da Lei Maria da Penha e a Lei do Feminicídio, entre outros.

É importante lembrar o legado de um importante expoente da causa feminista como Jerônima Mesquita, na esperança de fortalecer ainda mais outras conquistas, para que, no futuro, mulheres e meninas possam conviver em uma sociedade igualitária, com mais respeito e dignidade.

Luana Silveira
Assessora de Comunicação
Prefeitura Municipal de Santana

Última modificação: 29 de abril de 2024

Comments are closed.